Trecho do Livro: Dieta Nota 10 | Dr. Guilherme de Azevedo Ribeiro

Livros Dieta Nota 10 Dr Guilherme de Azevedo Ribeiro BooksLivro: Dieta Nota 10
Brasil | World

Por que nasci gordo?, perguntam muitos dos meus clientes. Sempre respondo que a gordura não se relaciona à fatalidade. Quando se trata de quilos extras, só em casos especialíssimos o destino é o vilão da história.

Sou médico endocrinologista há 20 anos. Apesar da minha experiência ajudando as pessoas a perderem peso sem perder a saúde, até hoje aprendo o quanto é delicada a arte de emagrecer – e conseguir se manter magro.

Minha vivência clínica ensinou-me que os gordos não nascem gordos. São gordos por comer em demasia, ingerindo mais energia do que conseguem queimar. É uma questão matemática: se você ingere mais energia do que gasta, seu metabolismo (conjunto de reações orgânicas que mantém o corpo funcionando) transforma o excesso em gordura. Para eliminar a gordura, o corpo em desequilíbrio nos aponta o caminho certo: diminuir a ingestão de energia e aumentar sua combustão. Resumindo: comer menos (ou melhor) e movimentar-se mais.

Se você fizer compras em um supermercado durante 10 minutos, gastará 24 calorias. O mesmo tempo dirigindo no trânsito significa menos 22 calorias. A maioria dos legumes e verduras, na quantidade que você desejar, temperada com uma colher de maionese light “custa” somente 25 notas.

Hoje fazer dieta não significa, como há 30 anos, adotar um regime de faquir. Sai refeição, entra refeição e você é obrigado a engolir três folhas de alface e um peito de frango grelhado, sem gosto, sem cor, sem tempero. Fazer exercícios também deixou de ser sacrifício. Há coisas divertidíssimas que ajudam a queimar calorias.

Fazendo sexo calmamente, em 10 minutos você perde 22 calorias. Mas, se a paixão for intensa, a cada 10 minutos lá se vão 48 calorias.

Ah, então essa dieta é ótima… E é mesmo. Mas é importante alertar que apenas se exercitar não emagrece ninguém. Exercitar-se é bom por melhorar a saúde e potencializar os efeitos da dieta. Mas o que realmente emagrece é a alimentação racional. Faça as contas. Uma semana tem 168 horas. Exercitando-se duas horas, cinco dias por semana, você gastará apenas 10 horas. Isto não chega a fazer a diferença para quem deseja perder peso. No entanto, se você fizer dieta e exercícios simultaneamente, o emagrecimento é mais rápido e menos estressante. E a sua saúde melhora, claro. Exercitar-se faz bem à saúde, mas o que emagrece é comer com equilíbrio.

As dietas modernas – a Nota 10 mais do que todas – oferecem um leque de alimentos variados e saborosos, permitindo até que as pessoas freqüentem restaurantes e escolham seu prato diretamente do menu. Bem, no início você terá que consultar sua estratégica tabelinha. Depois, decora quanto “custa” cada alimento e gasta apenas a “quantia” que pode. Aí, ninguém o segura mais.

Dançando 10 minutos, você queima: balé: 80 calorias; disco: entre 32 e 67 calorias; jazz: 80 calorias; rumba: 66 calorias; samba: 66 calorias; tango: 56 calorias. E ainda se diverte!

E, já que é festa: um copo de chope tem 90 calorias; em um prato de sobremesa de batatas fritas há 180 calorias. Quantas notas? Você já vai saber.

As opções de atividade física também são maiores. Desde caminhar à dança de salão. Com direito à azaração, que, aliás, é ótima para queimar calorias. Um beijo queima 10 calorias. Dez beijos queimam 100 e você fica feliz.

Apenas 20% dos clientes que me procuram sofrem de obesidade genética. E até para esses existe solução. Tenho constatado que, na maioria das vezes, os obesos genéticos também cultivam péssimos hábitos alimentares. Hábitos que geralmente começaram em gerações anteriores às deles.

A imensa maioria das pessoas gordas come muito ou come errado. A grande verdade é: não há obesidade sem excesso de comida. Se compararmos comida e dinheiro, veremos que ambos se comportam da mesma maneira. Se você puder gastar 500 reais por dia e ultrapassar essa cota, começará a acumular dívidas. Se você tem 500 notas diárias para gastar em alimentação e ultrapassar esse limite, começará a acumular gordura.

Em todos os sentidos, para vivermos bem precisamos respeitar limites. Ninguém faz o que quer sem pagar algum preço. Você não nasceu gordo. Você é gordo porque o preço de comer irracionalmente é o peso excessivo.

Ir ao cinema também gasta energia. Cada 10 minutos assistindo a um filme queima 16 calorias. Vamos esquecer as calorias e despertar a sua curiosidade. Um cachorro-quente com refrigerante light/diet “custa” apenas 85 notas. O número de calorias? Deixa pra lá, isto não nos interessa.

Informação técnica:

1) Alimentos DIET são aqueles que não levam adição de açúcar refinado.

2) Alimentos LIGHT são os que têm menos calorias que a sua versão original. Geralmente os alimentos diet e light são úteis em todas as dietas, mas os diet são particularmente úteis para os diabéticos, que não podem consumir açúcar refinado.

Posso comer um bombom sem sair da dieta?

Pode. Com açúcar, nougat (Nutella), nozes e a tudo que você achar que tem direito. Sem complexo de culpa. Pense bem: se você comer um bombom por dia, vai engordar? E se comer cinco? Ou 10?

Comer e emagrecer é uma questão já resolvida pela ciência da nutrição. Você pode comer seu bombom diário e, ao mesmo tempo, emagrecer. Um bombom tem 140 calorias. Cada 10 minutos no chuveiro, menos 20 calorias. Quantas notas “custará” um bombom?

Aliás, quem pretende fazer um bom regime de emagrecimento tem que se preocupar com a balança, com a nutrição do corpo e também com a qualidade de vida. Você pode e deve emagrecer sem abrir mão do que lhe dá prazer. Pode continuar bebendo seu chopinho. Pode não dispensar a santa farofinha de cada dia. Pode manter o feijãozinho com arroz. Também pode comer batata, pão e queijos. Ah, ia me esquecendo: macarrão, strogonoff e vatapá também já estão no cardápio de quem quer emagrecer.

Na verdade, você pode comer de tudo e perder os quilos que deseja. Porque emagrecer é simples, apesar de não ser fácil. Emagrecer, e se manter no peso ideal, exige mudar os hábitos alimentares. E, até que os novos hábitos se transformem em nova rotina, a disciplina é fundamental.

Por isto é que costumo dizer: emagrecer é simples. Existe um método científico para eliminar o peso extra. Mas mudar os hábitos alimentares é complicado, pois, na maioria das vezes, trazemos estes hábitos da infância. Reeducar-se diante dos alimentos, usá-los na quantidade necessária, sem excessivos abusos ou restrições, é o x do problema. Para isso é necessário força de vontade.

Você tem que acreditar que pode, sim, modificar seus vícios alimentares. Se, durante alguns meses, você controlar cada coisa que comer, quando se der conta terá perdido muitos quilos e mudado, para sempre, as atitudes erradas que aumentavam o seu peso, prejudicando-lhe a saúde.

—–
+ Veja também: