Vestibular da USP terá avaliação seriada a partir de 2009

A Universidade de São Paulo anunciou a implantação do PAS (Programa de Avaliação Seriada), sistema para processo seletivo de graduação já adotado por instituições brasileiras, como UnB (Universidade de Brasília) e UFU (Universidade Federal de Uberlândia).

A modalidade, que começa a valer no processo seletivo de 2009 em parceria com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, é voltada às escolas da rede estadual de ensino médio regular de São Paulo e aos estudantes que estão cursando o último ano.

A proposta foi feita pelo Inclusp – um programa de inclusão social lançado em 2006 pela instituição – e pretende incentivar alunos da rede pública a ingressar na faculdade.

Neste primeiro ano, a prova será aplicada aos estudantes do 3º ano do ensino médio regular e implementada progressivamente para as demais séries em 2010 e 2011.

O desempenho do estudante no Enem poderá ser revertido em bônus adicional de até 6%, proporcional ao resultado da prova. A aplicação do bônus universal de 3%, que a USP já oferece aos alunos de rede pública, e do bônus qualificado pelo desempenho do estudante no PAS e no Enem poderá chegar a 9%.

PAS
No sistema de avaliação seriada, o estudante faz as provas no final de cada ano durante as três séries do ensino médio. As provas não têm conteúdo acumulativo: as questões da primeira etapa são de aulas da primeira série, as do segundo exame exigem conhecimentos da segunda série e a terceira e última etapa abrange o programa da terceira série mais a prova de redação.

Com as notas das três provas, obtém-se a média final que classifica o candidato. “Será formado um grupo de trabalho para definir de qual forma os resultados da avaliação serão utilizados no vestibular”, explica a pró-reitora de graduação, Selma Garrido Pimenta.

Ação social
O Inclusp é composto de uma série de medidas para a ampliar o acesso e a permanência na universidade de alunos vindos de escolas públicas. Entre as mudanças está o acréscimo de 3% na pontuação obtida no vestibular da Fuvest para alunos do ensino público, já implantada no exame de 2007.

Segundo a pró-reitora, isso garante que o aluno entre na USP por mérito e não por condição socioeconômica, como ocorre no sistema de cotas. Com a pontuação acrescida, os alunos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas têm um bônus de 3% aplicado às notas das 1° e 2° fases.

Selma explica que 24% dos estudantes da USP atualmente são egressos da rede pública. “A meta a ser alcançada é aumentar esse número para 30% neste ano”, disse.

De acordo com a pró-reitora, o Inclusp oferecerá ainda cursos de formação continuada para professores do ensino público e dará apoio para cursinhos pré-vestibulares comunitários.

Fonte: UOL

—–
+ Veja também:

Anúncios